Lambada das Quebradas Vol 1 (1978)

Lambada das Quebradas Vol 1 (1978)
 

As músicas deste LP foram criadas em 1974 e 1975, mas gravadas somente em 1978, devido a problemas financeiros.

As sessões de gravação foram feitas no estúdio da rádio Rauland  (4 canais) em outubro de 1978, acompanhadas pelo representante da Continental  em Belém, Jesus Couto.

No trabalho vimos uma característica que se repetiria em todos os outros: Músicas temáticas e na maioria instrumentais, tendo a guitarra como instrumento de solo.

Um fato interessante nesse LP é a capa. Como não havia fotos dos músicos, nem informações sobre eles, o pessoal da Continental usou como arte de capa uma foto tirada de um calendário e os apelidos dos integrantes da banda.

O lado A abre com a “Lambada da baleia”. Nessa canção Vieira conta a história da famosa baleia que encalhou às margens da cidade de Barcarena em meados de 1977. Segundo o mestre e outras testemunhas oculares, o povo se alimentou da carne do mamífero por muito tempo.  A canção começa com um ponteado (solo) sobre a escala diatônica de Lá maior e segue com uma narrativa poética e divertida sobre o ocorrido. Um carimbó diferente, quente e marcante (a primeira lambada gravada).

A segunda música (Lambadas das quebradas) é um instrumental em Ré maior. Uma mistura de carimbó e música de salão. É perceptível o som do baixo semitonado (desafinado umas  4 comas), isso ocorre em quase todo o disco. Segundo o baterista do Vieira – Cassiano Pereira Filho – esse contrabaixo só tinha duas cordas e foi fabricado por ele mesmo: “Fui a Belém numa loja de instrumentos e tirei com papel carbono o molde de um baixo. Chegando em casa, montei um parecido, mas com duas cordas”. Segundo ele, o baixista não sabia tocar, mas gravou os dois primeiros LPs assim mesmo. Talvez seja essa a explicação do baixo desafinado no primeiro LP e algumas músicas do segundo.

Outra canção interessante do LP é a “lambada da curupira” que fala sobre a lenda do bicho que mora no “pé da sucupira” e defende a mata. Vieira informou que fez essa música e outras  para contar para o povo de fora sobre as “visagens” que assombravam o pessoal de Barcarena e redondezas do Baixo Tocantins.

Outra música instrumental muito criativa e para mim aquela que mais exige do mestre em termos técnicos é a “Lambada da bicharada”. Nela, Vieira simula com sua guitarra os sons de galinhas, boi, bode, enfim, uma grande festa sonora.

 

 

1. Lambada da Baleia
Mestre Vieira  

 

2. Lambada das Quebradas
Mestre Vieira  

 

3. Vamos Dancar a Lambada
Mestre Vieira  

 

4. Lambada da Pachanga
Mestre Vieira  

 

5. Voce Voltou par Mim
Mestre Vieira  

 

6. Bate Estaca
Mestre Vieira  

 

7. Lambada da Curupira
Mestre Vieira  

 

8. Botando Pra Quebrar
Mestre Vieira  

 

9. Voce vai Chorar
Mestre Vieira  

 

10. Lambada da Bicharada
Mestre Vieira  

 

11. Ela foi Embora
Mestre Vieira  

 

12. Som do Amor
Mestre Vieira  

 

 
 
previous next
X